O CLUBE

História:

O Grêmio Esportivo América foi fundado em 5 de janeiro de 1950, na Churrascaria do Bar Avenida, fundos da atual Padaria Dona Elza, por um grupo de 16 esportistas, a saber: Hercílio Lenoir Steffens, Ermindo Sarturi, Enor Tozzetto, Euclides Di Domenico, João Claudius Bervian, João Maximiliano Batistella, Fiorindo Ciprandi, Ernesto Arnaldo Danielli, Arsênio J. Koehler, Levino Ciprandi, Noris Schaker, Arnolfo Pillar, Rosalino Magni, Nauri Pinto Ribeiro, Arnaldo Pereira e Antônio Carlos Gottlieb.

Após debates, foi realizada votação secreta, tendo sido eleita a chamada “chapa Di Domenico”, assim constituída:

Presidente – Euclides Di Domenico
1º Vice-Presidente – João Claudius Bervian
2º Vice-Presidente – João Maximiliano Batistella
Procurador Geral – Fiorindo Ciprandi
1º Secretário – Ernesto Arnaldo Danielli
2º Secretário – Arsênio J. Koehler
1º Tesoureiro – Levino Ciprandi
2º Tesoureiro – Noris Schaker
Diretor Técnico – Arnolfo Pillar
Diretor Geral de Esportes – Rosalino Magni
Diretor de Educação Física- Nairo Pinto Ribeiro
Arquivista – Arnaldo Pereira
Orador – Antônio Carlos Gottlieb

Por sugestão de Ermindo Sarturi foi aceita a denominação de GRÊMIO ESPORTIVO AMÉRICA para a nova entidade. Já naquela época havia divisão entre gremistas e colorados, de tal forma que os torcedores do Internacional não foram muito simpáticos ao novo nome, que incluía a denominação GRÊMIO. Para acalmar os ânimos, o Dr. Hercílio Steffens sugeriu, então, que as cores do novo clube fossem o vermelho e o branco, as cores do INTER, com o que todos ficaram contentes.

A partir de então o GEA iniciou a disputa de jogos amistosos com equipes da região e mais tarde começou a participar de competições oficiais de âmbito estadual, culminando com a conquista do Campeonato Estadual de Amadores-Série Amarela, em 1962, em um chuvoso e frio, porém ruidoso e acalentado domingo, contra o E.C. Missioneiro, de Tres Passos, em Tapera.

Na década de 50 o América tinha um departamento de voleibol feminino, capitaneado por Elaine Maria Steffens, do qual participavam suas irmãs Laila, Loia e Élia, além de Laci Crestani, Arlita Ruschel e várias outras atletas. Os jogos eram disputados na praça central e tinham grandes torcidas. Nessa época surgiu a primeira bandeira do Clube, confeccionada pelas próprias atletas e toda acolchoada e cravejada de lantejoulas. Durante muitos anos esta bandeira foi dada como perdida até que, lá por 1978, quando se procedia à limpeza de um velho armário no antigo galpão do Horto Florestal, encontrou-se nele um grande trapo, sujo, amarrotado e aparentemente sem valor, que quase foi jogado fora. Ao abri-lo, no entanto, verificou-se que se tratava do velho e querido pavilhão americano que, após sucessivas e cuidadosas lavagens , foi recuperado e hoje é guardado como relíquia e exibido orgulhosamente em todos os eventos oficiais de que o América participa.

Até a década de 60 ainda eram realizados anualmente os famosos BAILES DO AMÉRICA com escolha da Rainha e tudo, sempre no Clube Aliança e muito concorridos.

Em 1997 o América participou do quadrangular final do Campeonato Estadual de Amadores na cidade de Sobradinho. Classificado como finalista em uma competição que começou com 64 equipes, só não foi campeão porque disputou o quadrangular contra equipes semiprofissionalizadas.

Com o declínio gradativo do futebol amador no estado, ao mesmo tempo em que se observava uma crescente preferência dos taperenses pelo futsal, foi fundada em 1990 a Escolinha de Futsal, que chegou a contar com 147 atletas e que até hoje participa de competições regionais em várias categorias, tendo sido campeã em várias delas.
Após anos de funcionamento, as duas agremiações taperenses que disputavam o campeonato estadual adulto de futsal, King’s Club e Associação Atlética Agrotap, encerraram suas atividades.

O futsal de Tapera, mesmo com o imponente ginasião poliesportivo que orgulha o município como um dos maiores do estado, ficou então sem representante por alguns anos abrindo-se assim a oportunidade de o América iniciar suas atividades com o departamento de futsal adulto, unindo as forças da torcida em torno de um único representante, o que ocorreu em 1995. Nosso representante começou a levar grandes públicos ao ginasião comprovando a grande paixão pelo futsal. No ano seguinte o Grêmio Esportivo América já era consagrado CAMPEÃO ESTADUAL DE FUTSAL – SÉRIE PRATA, na memorável Batalha de Bento Gonçalves, derrotando o E.C. RESERG na casa do adversário, com ginásio lotado e por goleada de 10 a 6.

Disputando, então, a Série Ouro, a partir de 1997, o América sempre fez boa figura, às vezes derrotando ícones do futsal estadual, como Ulbra, ACBF e outros. No entanto, frente aos investimentos cada vez maiores, o departamento foi desativado em 1999.

Em 2008, graças à dedicação de um grupo de abnegados esportistas e empresários, o clube voltou a disputar a série prata do estadual de futsal.

No momento permanecem em atividade os departamentos de Futebol (categoria veteranos) e Futsal (Adulto e Escolinha). O América possui aprazível sede própria onde seus sócios confraternizam e são disputados jogos de veteranos.

Comentários estão desabilitados.